Por Que Precisa Fazer Lição de Casa?

Muitas vezes a gente chega exausto em casa e só quer relaxar um
pouco. A última coisa que quer ver na frente é o caderno com a lição de casa - aquilo
parece uma verdadeira tortura! Mas acredite, a coisa fica bem mais tranquila se você
deixar de encarar a tarefa como um castigo. Ok, pode não ser a atividade mais legal
para se fazer no tempo livre. Só que é um meio muito eficiente de você fixar o que
aprendeu na escola e mapear suas possíveis dúvidas sobre aquela matéria.
Em casa não tem professor para dar dicas nem para responder suas
perguntas. Você tem de se virar sozinho com aquele conteúdo. É aí que você percebe
se realmente entendeu o que foi dado em aula. Quando você faz mais exercícios ou
lê mais textos sobre um determinado assunto, aquela matéria vai ficando “grudada”
na sua memória. É como vídeo game: quanto mais você joga, mais fácil fica passar
por aquela fase. Porque você já sabe quais são as armadilhas, onde tem de tomar
mais cuidado, como passar pelos obstáculos e qual o caminho certo para chegar ao
final da fase. Quando você tira isso de letra é porque realmente aprendeu.
Não é necessário gastar horas com a lição de casa todos os dias: basta que o
tempo dedicado a ela seja bem aproveitado. Para começar: se você sentou para fazer
a tarefa, concentre-se nela. Isso significa desligar a TV, o computador, ficar longe do
telefone e de qualquer outra coisa que possa causar distração. Se você se focar na
lição, vai acabar mais rápido e ficar livre logo para fazer o que quiser depois.
O ideal é fazer a lição no mesmo dia em que ela foi passada – a matéria ainda
está fresquinha na cabeça e seu aproveitamento tende a ser melhor. Se você deixar
para a véspera do dia de entrega, pode ser que alguns pontos da matéria sejam
esquecidos e você tenha de usar mais tempo para se lembrar do que foi dado em
aula.
Se você não conseguir fazer todos os exercícios propostos, vale a pena reler
suas anotações de aula e buscar mais explicações no livro didático. Talvez a dica para
resolver a questão esteja lá. Pode ser que, mesmo assim, você não consiga solucionar
algum exercício. Aí o jeito é esperar a próxima aula para tirar a dúvida com o professor
ou com um colega. Pergunte como ele conseguiu resolver o problema - talvez seu
amigo consiga mostrar uma forma diferente para chegar à solução esperada.
Mas, tente não desistir de primeira: às vezes, se a gente insistir um pouco,
consequentemente, acaba encontrando um caminho para resolver o problema. E,
normalmente, quando você encontra esse caminho sozinho o aprendizado fica mais
“firme” do que quando alguém simplesmente diz qual é a resposta.
Texto extraído do livro: Estudar: qual o segredo? Como ir bem na escola
aprendendo de verdade. Da autora Fernanda Wendel, editora Ática.
Sugestão de leitura: Rosilene Espírito Santo
(Coordenadora da Educação Infantil e Ensino Fundamental I)