Notícias

A História de Nossa Senhora Auxiliadora

Conheça mais sobre Maria Auxiliadora

  Maria Auxiliadora, que também é invocada como Nossa senhora Auxiliadora, simboliza uma das designações da Virgem Maria, a Mãe de Jesus. O culto a mesma surgiu no século VXI, no ano de 1571, quando o Papa Pio V e o militar Dom João de Áustria recorreram ao seu auxilio para vencer a Batalha de Lepanto – um conflito naval que se travou entre a Igreja Católica e o Império Otomano.

  Em 1571, Ali Paxá de Tepelene, o então líder otomano, preparava-se para invadir a Europa, visando o aumento de sua influência e de seu poder. Por onde o ele passava, provocava a destruição, incendiava templos e assassinava os que discordavam, gerando pânico à população.

  A igreja católica passava por uma grave crise com a expansão do protestantismo, as estruturas da Organização estavam bastante abaladas. Mesmo assim, o Papa Pio V formou um grande exército contra os invasores, o qual foi chefiado por Dom João de Áustria.­

  Conta a lenda que o militar, por ser um cristão extremamente fiel e devoto, fez com que os combatentes, durante os três dias anteriores à batalha, se confessassem, jejuassem e rezassem em nome da Virgem Maria. No quarto dia, o inesperado aconteceu; enquanto os turco-otomanos tentavam ultrapassar o Estreito de Lepanto – o canal marítimo que dá acesso à Europa, eles viram uma aparição de uma mulher envolta por luz e poder, a Mãe de Jesus. Essa imagem desestabilizou e amedrontou os guerreiros muçulmanos de forma tão intensa que eles acabaram fugindo, tornando os cristãos vencedores.

  Depois da vitória, como forma de honrar a Virgem, o Papa deu início à veneração a Maria Auxiliadora.

  Por ter intercedido pelos católicos quando eles mais necessitavam, essa invocação de Maria é tida como a padroeira do lar, sendo comumente chamada em circunstâncias dolorosas e desastrosas. ­

Referência: Cadê meu Santo